sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Let's go exploring: Miami!

 Já contei para vocês que no verão passado fui para 10 lugares? Então, Miami foi um deles. Fiquei tão encantada com a cidade que até esqueci de fotografar detalhes. Depois de cinco horas esperando o voo em Manaus (ô calor da peste!), finalmente embarcamos. Depois de três filmes assistidos, finalmente chegamos. "Chegamos", pois dessa vez fui com meu pai, afinal, era o sonho dele reencontrar os filhos após mais de 20 anos sem contato. Sim, tenho dois irmãos -Paula e Leonardo- do primeiro casamento do meu pai (abrindo um parênteses para dizer que minha irmã tem a idade da minha mãe, pois é), foram morar no Tio Sam ainda bebês e possuem cidadania americana. É quase óbvio que essa viagem estava planejada há anos, não é? Economizamos milhas, fizemos uma poupança de dólar e reservamos três dias em Orlando em um hotel da rede Bancorbrás de turismo, é essa a empresa que assino para reservas "gratuitas" (bem entre aspas) quando viajo, inclusive já tenho meu cantinho em Fortaleza nos dias 8 a 15 de janeiro.


Uma foto publicada por Angie 👽 (@angieaaca) on

Um vídeo publicado por Angie 👽 (@angieaaca) on
Aproveitamos Miami, onde meu irmão mora, nos primeiros quatro dias. Eu acordava com aquela vontade imensa de só ficar passeando pelo Cononut Grove, me sentindo uma Lolita, em um filme da Sofia Coppola, meio em um videoclipe da Del Rey ou coisa do tipo (principalmente porque a lista de reprodução da Lana combinava demais com o cenário).

Mas quando fomos explorar Downtown, meu corpo inteiro se arrepiou e entrou Charli, Sky, Marina, Lorde e outras ninfas na minha lista de reprodução, eu fiquei anestesiada!

Miami - LGE - Downtown by Angie AACA on Grooveshark

Downtown 



Uma foto publicada por Angie 👽 (@angieaaca) on

Não sei se é porque eu me encanto por qualquer lugar que vou mas fiquei apaixonada, literalmente, Miami é feita de três das minhas cores favoritas: Cinza, verde e azul. Tem três das minhas características arquitetônicas favoritas: formas minimalistas, vidros espelhados e palmeiras.

Início de Miami Beach

Quando fomos conhecer Wynwood Wall, virei modelo do meu irmão, encontrei alguns grafites da brasileira Nina Pandolfo, abracei uma árvore e disse que não sairia mais de lá. Me lembrou bastante um bairro daqui de Curitiba, o São Francisco, só que podíamos andar com o celular nas mãos sem sermos assaltados.

Brincando de modelo pela primeira vez em 2014, acabei o ano sendo de verdade haha


Essa modelo que estou fotografando é a Tina, "filha" do meu irmão.



Uma foto publicada por Angie 👽 (@angieaaca) on


E quanto às pessoas esquisitas? A mistura de estilos... Sim, a diversidade cultural é enorme. Em Miami Beach, por exemplo, quando eu olhei para a esquerda tinha um grupo de skatistas, para trás, umas meninas com cara de Bling Ring (o esterco da Coppola, na minha opinião), enquanto à minha direita tinha uns casais "underground" e se eu caminhasse um pouco mais encontraria esportistas, famosos, góticos, diversos estilos caminhando tranquilamente, ninguém encarava ninguém dos pés à cabeça por serem "diferentes" como acontece MUITO no Brasil (que contraditório, não?). Ainda bem, pois eu, jurando que choveria e não sabendo que iríamos para a praia, saí de preto dos pés à cabeça e quase desmaiei com o sol escaldante. Eu na rua era a menos esquisita, pelo menos, isso não acontecia há anos (risos).


Uma foto publicada por Angie 👽 (@angieaaca) on



No dia seguinte, voltamos para Miami Beach à procura de caranguejo. É, caranguejo... Brasileiro é brasileiro até na China, afinal! Sem sucesso, nos contentamos com um final de tarde andando de bicicleta na orla. Em algumas cidades do Brasil temos o sistema de "aluguel" dessas magrelas gostosas mas é bem diferente do que funciona em Miami (tieto mesmo, e se duvidar tieto duas vezes mais). Agora quero que imaginem a seguinte cena, enquanto escutam a lista de reprodução abaixo: Andar de bicicleta na orla de Miami Beach durante o pôr do sol, até a lua cheia dar as caras, maresia gelada e cheirinho de terra molhada, foi essa a sensação de alegria e paz que senti naquela noite. E fechar o dia com Häagen-Dazs com tudo que tenho direito, ainda por cima de graça (o amigo do meu irmão é dono da franquia de MB). Meu querido Leonardo ainda não me mandou as fotos desse dia, quando eu receber, atualizo o post e aviso aqui.

Pausa para uma pizza em plena luz do dia, quem dera ter isso em Curitiba
No fim das contas, quase fiquei de vez. Me dei tão bem com meus irmãos que o Leo arrumou até um estágio e moradia pra mim, mas uma mudança tão drástica assim requer planejamento, não podia simplesmente largar tudo que conquistei em Curitiba por uma extensão do verão, ainda tenho muito o que fazer no Brasil. Mesmo assim resolvi levar as expectativas a diante e dizer para todos que eu ficaria por mais um ano. Acreditaram! No dia que voltei, pedi para minha amiga Lica subir ao meu apartamento para alimentar minha cadelinha enquanto meu pai não voltasse de viagem, quando ela chegou na portaria, eu a recebi com uma rosa e muita saudade.


Eu volto, Miami, e dessa vez com mais dinheiro, mais tempo e mais companhia. Até!
Clique aqui para ver todas as fotos de Miami

4 comentários:

  1. Esse foi o melhor LGE até agora! Quando voltar, me leva, por favor? hahaha

    ResponderExcluir
  2. Que lugar maravilhoso, e que fotos lindas, Angie! Adorei, me leva junto quando voltar hahaha
    A Lica é um amor mesmooo, que fofas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, vamos todas! Ela é um anjo, né. Obrigada!

      Excluir

© The Daughter of Hecate 2014 | Design e desenvolvimento por Amanda Faria